Toffoli adia decisão sobre foro privilegiado; Reforma foi reduzida mas ainda não tem apoio

Do Blog Matheus Leitão – A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) — 8 de 11 — votou nesta quinta-feira (24) pela limitação do alcance do foro privilegiado para deputados federais e senadores.

A decisão final, no entanto, foi adiada mais uma vez devido a um pedido de vista feito pelo ministro Dias Toffoli, sob o argumento de que o Congresso também discute o tema.

O resultado da votação e o temor interno por um pedido de vista foram adiantados pelo blog. A estimativa é que a restrição do foro remeta à primeira instância 90% dos processos contra políticos no STF.

“Maioria do STF limita foro, mas Toffoli adia decisão”, afirma o Globo na manchete. “Maioria do Supremo defende limitação do foro privilegiado”, destaca a Folha de S.Paulo no título principal.

A tentativa de governo de aprovar a mini reforma da previdência é outro destaque dos jornais. O governo já admite ceder em mais pontos da reforma da Previdência e em outras medidas do ajuste fiscal.

As medidas ampliariam o rombo nas contas públicas. Já se discute, inclusive, manter o reajuste dos servidores e reduzir a idade mínima. As possibilidades foram levantadas após jantar do presidente Michel Temer com parlamentares.

O Estado de S.Paulo informa que a prévia do resultado fiscal elaborada pela Instituição Fiscal Independente (IFI) do Senado aponta alta real de 9,9% na arrecadação federal em outubro, ante o mesmo mês de 2016.

O superávit de R$ 3,5 bilhões será o primeiro saldo positivo em seis meses. “Arrecadação federal cresce 9,9% no mês e alivia contas”, sublinha o Estadão.