‘Temer nasceu pelas mãos do PSB e Paulo Câmara é o padrinho’, diz Bruno Araújo

O deputado federal Bruno Araújo critica uma possível aliança entre PT e PSB.

Apontando incoerência numa possível aliança entre PT e PSB, o deputado federal Bruno Araújo (PSDB-PE), liderança do grupo Pernambuco Quer Mudar, voltou a afirmar que o governador Paulo Câmara (PSB) defendeu o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Na manhã desta sexta-feira (4), Bruno publicou na sua conta no Facebook documento relembrando que os socialistas votaram pela impugnação.

“Há apenas dois anos o governador e seu partido rejeitavam o PT e divulgaram carta na véspera da votação do impeachment de Dilma Rousseff. Em nome do governador, o presidente do partido em Pernambuco demonstra total apoio ao impeachment e critica a então presidente que se “deslegitimou”. E mais, a nota faz questão de diminuir o papel do ex-presidente Lula no desenvolvimento de Pernambuco, algo que mesmo fazendo oposição nunca deixamos de reconhecer”, escreveu o tucano.

Enquanto busca o apoio do PT para a reeleição, Paulo Câmara passou a ser questionado por sua posição em relação ao impeachment de Dilma. Nas últimas semanas, os deputados de oposição Mendonça Filho (DEM) e o próprio Bruno Araújo afirmaram ter conversado mais de uma vez com Paulo e com o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), sobre o impeachment. Em nota, no último dia 20, o governador negou os encontros. A oposição, vale lembrar, pode se favorecer por uma candidatura própria do PT, que pode levar a disputa ao segundo turno.

“Michel Temer nasceu pelas mãos do PSB. Paulo Câmara é o padrinho”, escreveu Bruno Araújo. Confira a publicação:

ENCONTRO COM HADDAD
Paulo Câmara se reúne nesta sexta em São Paulo com o ex-prefeito Fernando Haddad (PT), um dia após uma ala do PT de Pernambuco ter apresentado formalmente uma proposta de que a sigla apoie a reeleição do socialista no Estado. O PSB sinaliza com uma das vagas do Senado para Humberto Costa (PT).

A visita de Paulo a Haddad, visto como um “plano B” do PT na corrida presidencial, é mais um gesto em direção à cúpula do PT. O governador já se reuniu com o ex-presidente Lula; com a senadora Gleisi Hoffmann, presidente do PT; e com Alexandre Padilha, vice-presidente do partido. O PSB aposta em uma sinalização da Direção Nacional do PT pela aliança.

O documento defendendo a aliança com o PSB foi apresentado ontem pelo vice-presidente do PT-PE, Oscar Barreto, e integrantes da executiva e da direção estadual do partido. “Precisamos sair do isolamento”, afirma o texto. Barreto afirma que a prisão de Lula mudou o cenário político em relação ao ano passado, quando o partido decidiu ter candidatura própria. (JC)

Em nova pesquisa, Paulo Câmara possui desaprovação de mais de 50% do eleitorado

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here