Sem espaço no Governo Novo Tempo, Guilherme Coelho poderá deixar grupo de FBC

guilherme-miguel Sem espaço no Governo Novo Tempo, Guilherme Coelho poderá deixar grupo de FBC
Clima entre Guilherme Coelho e Miguel Coelho é de tensão. Foto: Reprodução.

O grupo do Senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB) pode rachar, em breve, após as últimas movimentações do seu filho, o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, que anda exonerando e planejando realizar demissões para iniciar uma reforma no secretariado executivo da sua gestão.

Recentemente, Miguel Coelho exonerou uma indicação do suplente de deputado federal, Guilherme Coelho, que nas eleições do ano passado, deixou a base do ex-prefeito Júlio Lóssio, para voltar ao centrão da família, no entanto, não tem tido espaço para ampliar sua base política dentro do Governo de Miguel Coelho.

Nos bastidores do poder, especula-se que a inexperiência de Miguel Coelho tem prejudicado as relações políticas, principalmente, devido o mau assessoramento, que tem provocado dissidências com vereadores e aliados do governo.

O Governo de Miguel Coelho estaria tendo, até mesmo, a desaprovação do Senador Fernando Bezerra Coelho, principalmente, na forma de conduzir as alianças, tendo em vista que ele quer se lançar candidato à majoritária e o apoio inicial começa no seu reduto eleitoral.

Enquanto Fernando Bezerra não interfere, Guilherme Coelho, que deixou a oposição nas eleições passadas, continua na base do “Governo Novo Tempo”, praticamente, isolado, inclusive, deixou a posição de Deputado Federal e voltou à suplência, após Bruno Araújo (PSDB-PE) deixar o Ministério das Cidades, recentemente.

O ex-prefeito de Petrolina, Guilherme Coelho, tem vivido de idas e vindas na Câmara dos Deputados. Desde 2016 já são seis passagens pelo Congresso Brasileiro.

Recentemente, em entrevista ao Expresso, o primo do Ministro de Minas e Energia, Fernando Filho, afirmou que tentará se eleger em 2018, contudo, sem espaço para acomodar lideranças e ganhar  abrangência política na capital do sertão, dificilmente conseguirá o feito, principalmente, se não tiver o apoio do senador Fernando Bezerra Coelho.

Deixe seu comentário