Miguel Coelho sanciona projeto polêmico sobre ideologia de gênero em Petrolina

Prefeito Miguel Coelho ao lado de Elias Jardim (autor do projeto), em um culto evangélico. Foto: Internet.

O prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, sancionou o Projeto de Lei (PL) nº 2.985, de autoria do parlamentar Elias Jardim (PHS). A nova lei entrou em vigor no final do ano passado, proibindo as atividades pedagógicas que visem à reprodução do conceito de “ideologia de gênero” na grade de ensino de escolas públicas e privadas da cidade.

O projeto, sancionado pelo chefe do executivo, estabelece que a utilização, elaboração, publicação, exposição e distribuição de livros que abordem ou se refiram, direta ou indiretamente, sobre ideologia de gênero, diversidade sexual e educação sexual, bem como a distribuição de livros didáticos nas escolas e bibliotecas da cidade, estão terminantemente proibidas.

Os vereadores da bancada de oposição, na Casa Plínio Amorim, Gilmar Santos (PT) e Cristina Costa (PT) –, levantam a bandeira da educação no Legislativo – devem voltar a se manifestar sobre a questão, após o fim do recesso parlamentar. No dia 7 de dezembro, durante votação do projeto, os vereadores se posicionaram contrariamente.

“Em um país onde mais se mata LGBT’s no mundo, um a cada 25 horas, discutir gênero nas escolas é uma necessidade que pode tornar efetivo o compromisso da educação com a vida, com a justiça, com as liberdades individuais e com a cultura de paz. Negar-se a ele, ou pior, proibir esse compromisso por parte do educador, que deve ofertar o conhecimento acerca do que está na fundamentação desses problemas é outra violência, a violência da invisibilidade que não mata diretamente, mas deixa morrer”, disse Gilmar Santos.

LEIA TAMBÉM

>Governo de Miguel Coelho ampliou despesa em 19 milhões em comparação com 2016
Miguel Coelho fecha 2017 com 72% de desaprovação
Miguel Coelho assina decreto que reajusta a tarifa de ônibus de Petrolina em 5,71%; cidadãos pagarão agora R$ 3,70 
Vereador grava vídeo de final de ano “nada generoso” para Miguel Coelho

Em meio tempo, Miguel Coelho chegou a receber um abaixo-assassinado reivindicando a garantia dos direitos LGBT em todas as esferas de Petrolina, mesmo assim o projeto foi sancionado.

O gestor, também, deve ter um começo de ano turbulento com protestos capitaneados pelos movimentos sociais contrários ao projeto de lei aprovado, na Câmara de Vereadores de Petrolina.

Em uma foto que circula na internet, Miguel Coelho, ainda, aparece ao lado do vereador da bancada evangélica, Elias Jardim, participando de um culto evangélico. Nas Eleições de 2016, o prefeito contou com o apoio das igrejas evangélicas, graças ao parlamentar.

VEJA O PROJETO DE LEI SANCIONADO