“Judiciário que quer fazer política”, diz Bruno Ribeiro sobre julgamento de Lula

Bruno Ribeiro disse que acredita na absolvição do líder-mor petista.

O julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em segunda instância, por crimes investigados pela Lava Jato, tem movimentado o mundo político e definirá os rumos da legenda para as eleições no país. Presidente do PT em Pernambuco, Bruno Ribeiro disse que acredita na absolvição do líder-mor petista e reforçou a condenação ao que chamou que “desejo de fazer política do Judiciário”.

“Estamos nas ruas fazendo a defesa do direito da constituição e pedindo a absolvição de um cidadão inocente. Não se apresentou uma prova e não há crime. Isso foi uma manipulação de uma parte do Judiciário que quer fazer política, mais precisamente o juiz Moro e o Deltan Dallagnol que apresentam convicções ideológicas como os fatos”, salientou Ribeiro.

Sob a ótica do petista, “para fazer política o juiz e procurador tem que ir para política”. “Estamos exigindo e nos mobilizaremos para cobrar que a justiça seja feita”, disparou o dirigente.

Na próxima quarta-feira (24), o TRF4 vai apreciar o recurso de Lula contra a sentença do juiz Sérgio Moro que o condenou a cumprir 9 anos e 6 meses de prisão, pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

O ex-presidente vai ser julgado, em segunda instância, pelo processo da Lava Jato referente ao pagamento de propina da empresa OAS, a partir de um triplex no Guarujá, litoral de São Paulo. Além da detenção, a sentença de Moro também o proíbe de exercer cargos públicos por 7 anos e a pagar uma multa de R$ 669,7 mil.

Segundo Bruno Ribeiro, “após o dia 24, qualquer que seja o resultado, eu quero registrar, no dia 25, absolvendo ou condenando, a direção nacional do PT, se reunirá e vai pronunciar oficialmente que Lula é candidato. Lula é candidato não só do PT e dos petistas, mas também Lula é candidato do povo brasileiro. Lula é candidato de um país”.