Humberto Costa e Oscar Barreto tramam contra Marília Arraes dentro do PT de Pernambuco  

Oscar Barreto, Humberto Costa e Marília Arraes.

A vereadora do Recife e pré-candidata a governadora, Marília Arraes, precisa redobrar a atenção com relação as movimentações do grupo do senador Humberto Costa dentro da cúpula do Partido dos Trabalhadores (PT), caso queira ser candidata a governadora.

Nos próximos dias, o senador petista e o vice-presidente do PT do Recife, Oscar Barreto, vão apresentar um pedido formal de aliança com o PSB ao diretório regional da legenda.

Nos bastidores, fala-se que a ala que defende a aliança com o governador Paulo Câmara (PSB), anda sucumbida pela liderança da neta de Miguel Arraes, dentro da cúpula petista.

Após o desembarque do ex-prefeito do Recife, João Paulo, junto com o ex-presidente do PT do Recife, Osmar Barreto, Marília Arraes atropelou o senador Humberto Costa, e tem com folga apoio da militância e diretórios para consolidar sua candidatura própria ao Palácio do Campo das Princesas.

LEIA TAMBÉM 

“O grupo do Senador Humberto Costa está tentando aprovar uma aliança com o PSB antes do partido colocar em votação os candidatos para corrida ao Governo. Desta forma, a candidatura de Marília Arraes seria rifada […] é uma ação de desespero do grupo do senador”, explica um petista, em reserva ao blog.

O prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque (PT), se encontra no Recife, nesta segunda-feira, dia 30. Ele é um dos articuladores políticos e lançadores da candidatura de Marília Arraes ao Governo do Estado.

O correligionário de Arraes, não confirmou se sua agenda na capital é política. No entanto, pelo desenho da corrida eleitoral dentro da cúpula do PT, Duque provavelmente cumpre agenda de articulação eleitoral.

PT DO RECIFE 

O tesoureiro do PT Recife, Demetrius Fiorante, foi eleito para o cargo de presidente municipal e deve reforçar a ala petista que briga por aliança partidária com o PSB. O racha interno do diretório da Capital pernambucana ficou evidenciado com o pedido de desfiliação do ex-presidente Osmar Ricardo – que, com a saída, provocou a necessidade de uma eleição para um mandato-tampão até 2019.

A competição para o cargo de presidente do diretório do Recife aconteceu no último sábado. Além de Fiorante, concorreu o dirigente estadual Felipe Cury, um dos entusiastas da candidatura própria do PT e mais especificamente, um dos apoiadores da vereadora Arraes.

A eleição – indireta e decidida pelo voto de 44 diretorianos – vem na sequência das declarações do senador Humberto Costa, de que a justificativa para uma aliança com os socialistas se dava pelo fato da legenda estar “fragilizada” em Pernambuco. A vitória de Fiorante foi considerada folgada: mais de dois terços dos votos, segundo afirmou o vice-presidente Oscar Barreto. De acordo com ele, o pedido formal de aliança com o PSB ainda deve ser entregue ao diretório estadual. “Vai ser feita essa semana”, garantiu Barreto. Com o resultado positivo para os apoiadores da coligação, o grupo de Humberto sai fortalecido.

2 COMENTÁRIOS

  1. Humberto Costa não deve correr o risco de “peitar” a militância petista pernambucana e ficar como o golpista Michel Temer sem poder botar a cabeça na janela. Ele conhece a força dessa militância que o elegeu em todos os seus mandatos, mas que hoje não o reconhece mais como liderança alguma dentro do Partido dos Trabalhadores. Vendeu-se ao PSB de Paulo Câmara desde antes do impeachment da presidenta Dilma quando, da tribuna do Senado, fez seu discurso perder força na hora mais importante do golpe. Em seguida viajou a Israel deixando de participar da sabatina na CCJ de Alexandre de Moraes ao STF. Flagrado, informou que não era suplente de Jorge Viana (que também estava na mesma viagem a Israel), mas escondeu que renunciou à suplência quando a molecagem foi descoberta.
    Quem Humberto pensa que é para tentar impedir a candidatura de MARÍLIA ARRAES?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here