Governo abre matrículas para 40 mil vagas na educação de jovens e adultos em Pernambuco

A Escola de Referência em Ensino Médio Santos Dumont, em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, é uma das unidades que oferecem vagas para o EJA em Pernambuco.

Estão abertas as matrículas para novos alunos na modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA) Ensino Médio nas escolas estaduais de Pernambuco. São oferecidas 40 mil vagas em pelo menos 391 escolas de todas as regiões do estado. A inscrição deve ser realizada na unidade de ensino em que o aluno deseja estudar, até o dia 24 de julho. As aulas começam no dia 25 do mesmo mês.

Pode se matricular na EJA qualquer pessoa acima de 18 anos que não tenha concluído o Ensino Médio. Não há limite de idade. Os alunos que já fazem parte do programa têm a matrícula renovada automaticamente e não precisam ir até as escolas.

Para realizar a matrícula, os interessados devem apresentar o documento de transferência ou declaração da escola anterior, cópia da certidão de nascimento ou casamento, identidade, CPF, comprovante de residência, comprovante do tipo sanguíneo e fator RH e duas fotos 3×4.

A carga horária da EJA é reduzida, em comparação com o Ensino Médio regular. O programa é dividido em três módulos de um semestre cada, com 500 horas/aula por módulo. As atividades são cumpridas em um ano e meio, com 1.500 horas/aula.

Cada módulo equivale a um ano do Ensino Médio regular. Assim, o aluno que tiver concluído parte do curso, anteriormente, pode se matricular no módulo equivalente.

“A redução da carga horária é uma forma de estimular que os jovens e adultos retornem a estudar e também uma maneira de reconhecer que esse jovem já vivenciou em outros lugares outras formas de educação”, explica a gerente de Políticas Educacionais para Jovens, Adultos e Idosos de Pernambuco, Cláudia Abreu.

Segundo Cláudia Abreu, o horário das aulas é definido por cada escola em particular, pois acompanha a demanda de cada área e a necessidade dos alunos.

“O público da EJA, no geral, é formado por trabalhadores e, por isso, a procura é marjoritariamente pelo turno noturno. Mas se a escola percebe que há uma procura para o turno da manhã, por exemplo, e ela tem espaço físico disponível, podem abrir novas turmas em horários distintos”, afirma Cláudia. (G1)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here