Estudante transexual é agredida após sair de evento da UFPE

A jovem transexual foi espancada, mas conseguiu fugir dos agressores e fez uma denúncia.

Uma estudante transexual foi agredida após sair de um evento cultural LGBT no Centro de Educação da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), na zona na última sexta-feira (23). A jovem, que é aluna de um curso pré-vestibular do campus Recife, saía de um evento cultural direcionado para o público LGBT por volta das 22h, quando foi violentada.

Em relato no facebook ela destaca que havia sido vítima de transfobia horas antes. “Fui abordada por um sujeito homem cis, que interrogou se eu era mulher ou não, olhando para mim e minhas amigas. Afirmei ser mulher, o mesmo debochou, imediatamente, olho para o homem e falo: ‘diga se eu não sou mulher! Diz olhando para mim e afirme que eu não sou mulher”.

A coordenadora do movimento Mães pela Diversidade, Gi Carvalho, no estado,  acompanhou a jovem à Central de Plantões para formalizar a denúncia. “Como mãe e como família, somos tomados por um medo, o que sabemos é que não dá para silenciar. Não dá para entender que os nossos filhos têm que sair da universidade se trancar em casa enquanto os bandidos circulam”, comenta

A Diretoria LGBT da UFPE afirma que imagens captadas pelas câmeras estão sendo analisadas para tentar identificar os agressores. “Ela tem todo nosso total apoio. A gente vai tentar pegar imagens de câmeras da universidade e do entorno para que possamos identificar essas pessoas”, explica a diretora LGBT Luciana Vieira.

A instituição se prenunciou em nota

A Diretoria LGBT da UFPE, órgão ligado ao Gabinete do Reitor e responsável pelo acolhimento, inserção e permanência dessa população no âmbito da universidade, vem por meio desta nota expressar nossa total indignação por mais um lamentável episódio de transfobia.

No dia 23 de março 2018 foi realizado, em frente ao Centro de Educação (CE), um evento de incentivo às manifestações artísticas e culturais promovidas pelas pessoas LGBTs da UFPE. Na ocasião, fomos procuradas por uma estudante do Vestibular Solidário, cursinho preparatório para o ENEM, que nos informou que havia sofrido discriminação e violência verbal/ simbólica por parte de um homem cisgênero ainda não identificado. De imediato, paramos as apresentações e repudiamos publicamente e enfaticamente as atitudes do agressor. Ratificamos que a Universidade Federal de Pernambuco, NÃO TOLERA qualquer tipo de discriminação e violência contra a população LGBT, em especial as pessoas trans e as travestis. Em seguida, a Cultural transcorreu tranquilamente sendo finalizada de igual maneira às 21:30.

Contudo, após o término do evento, a estudante foi fisicamente agredida quando voltava para casa, a caminho da parada de ônibus. Vivemos no país do mundo que mais mata travestis e mulheres trans, o dado é conhecido, mas quando a violência chega tão perto de nós é ainda mais estarrecedor. São tempos difíceis para ser quem a gente é diante de tanto ódio e intolerância.

Nesse sentido, faz-se necessário expressar nossa indignação e revolta diante dos fatos ocorridos. Informamos ainda que a estudante está sendo devidamente assistida e amparada pela nossa equipe. Todas as medidas administrativas já estão sendo tomadas no sentido de cooperar para possível identificação e punição do agressor nas instâncias cabíveis. Acontecimentos como o que estamos repudiando somente reforçam a importância do nosso trabalho e nos move na luta pela construção de uma sociedade democrática e inclusiva para todos e todas.

Não passarão!

Recife, 24 de março de 2018.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here