Em Pernambuco, babá morre em acidente de trânsito após descobrir gravidez

acidente-vitia-baba-e1511861256768 Em Pernambuco, babá morre em acidente de trânsito após descobrir gravidez
Rosiane de Brito Souza, 23 anos, que morreu em um acidente de trãnsito no Recife deixou uma filha de 3 anos (Foto: Reprodução/TV Globo)

A babá Roseane Maria de Brito Souza, de 23 anos, que morreu no acidente causado por um motorista embriagado, na Zona Norte do Recife, na noite de domingo (26), descobriu que estava grávida há poucos dias, segundo a tia dela, Valquíria Andrade. Com três meses de gestação, ela deixou uma filha de três anos, Valentina. A advogada Maria Emília Guimarães e o filho dela de três anos, Miguel Arruda da Motta Silveira Neto, também morreram devido ao acidente, que deixou o marido de Maria Emília, Miguel Arruda da Motta Silveira Filho, de 46 anos, e a filha do casal, Marcela Guimarães Motta Silveira, de cinco anos, internados em estado grave.

Imagens de câmeras de segurança mostram o momento em que o carro da família é atingido por um automóvel, que estava em alta velocidade e avançou o sinal. O motorista que furou o sinal, João Victor Ribeiro de Oliveira Leal, 25 anos, teve a prisão preventiva decretada pela Justiça de Pernambuco. Segundo o delegado Ricardo Silveira, o exame de alcoolemia comprovou que o universitário ingeriu três vezes mais bebida do que o permitido.

A família de Roseane esteve no Instituto de Medicina Legal (IML), no bairro de Santo Amaro, no Centro do Recife, para liberar o corpo nesta segunda (27). A gravidez recém-descoberta foi recordada pela tia, que falou sobre os próximos exames marcados. “Ela ia fazer o ultrassom para saber o sexo do bebê nos próximos dias”, declarou.

Sobre o motorista que provocou a batida, que matou sua sobrinha, uma advogada e uma criança de três anos e feriu um homem de 46 anos e uma menina de cinco anos, a tia da babá sentenciou: “Não tem perdão para isso”.

Abalada, Valquíria Andrade lembrou ainda que a sobrinha se comunicou com a filha Valentina na manhã do domingo (26), pelas redes sociais, e prometeu voltar para casa no interior do estado nesta segunda-feira. As duas tinham uma ligação muito forte.

A tia conta que Valentina queria saber da mãe nesta manhã. “Ela perguntou: ‘Vocês vão buscar mainha?”‘, afirmou, ao se referir à viagem que a família fez nesta segunda ao IML. Eles moram em Caueiras, distrito de Aliança, na Zona da Mata Norte de Pernambuco, distante 81 quilômetros do Recife.

A tia da vítima explicou que a babá trabalhava há dois anos com a família da advogada Maria Emília Guimarães Silveira, 39 anos. Para Valquíria, a imagem de Roaseane vai ficar na memória de todos os parentes e amigos. “Ela vai vai fazer muita falta. Principalmente agora no fim de ano. A gente tinha feito amigo secreto e ela estava animada por causa disso”, explicou.

O acidente foi causado pelo universitário João Victor de Oliveira Leal, que foi preso e autuado por duplo homicídio doloso, em que há intenção de matar, e lesões corporais gravíssimas. Após audiência de custódia, teve a prisão preventiva decretada pela Justiça, e foi levado para o Centro de Observação e Triagem Professor Everaldo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife.

Valquíria contou, ainda, que Roseane adorava trabalhar com a família da advogada. Ela soube do acidente e ficou chocada. “Eles costumavam ir para a praia e estavam voltando para casa”, observou. A tia da babá informou que o clima na terra natal da família da babá é de muita tristeza. “É uma cidade muito pequena e foi um choque muito grande. A ficha não caiu ainda”, disse a tia da vítima.

Para Valquíria, o sentimento de todos é de revolta diante das circunstâncias do acidente. “O rapaz bebeu e bateu. Está todo mundo arrasado. Realmente, bebida não combina com direção”, declarou.

Roseane Brito de Souza foi velada no distrito de Caueiras, na tarde desta segunda (27). O enterro aconteceu às 16h30, no Cemitério de Aliança.

Investigação

A batida aconteceu por volta das 19h30, no cruzamento da Estrada do Arraial com a Rua Cônego Barata, no bairro da Tamarineira. Segundo o delegado, o veículo onde viajavam a família e a babá seguia pela Estrada do Arraial, no sentido Casa Forte, na mesma região, quando o outro carro avançou o sinal e causou a colisão.

O delegado Ricardo Silveira apontou que o rapaz estava com uma pulseira usada para permitir a entrada em um bar de Casa Forte. Ao policial, o universitário contou que começou a beber na tarde do domingo, em Olinda, e que a última lembrança que tinha era de pegar o carro do pai escondido.

O teste do bafômetro acusou três vezes do limite tolerado. “Ele informou que é dependente químico de bebida, que já teria sido internado em instituição. Ele afirmou que não lembra absolutamente de nada, […] que só recobrou os sentidos na delegacia”, detalhou Silveira. A polícia investiga ainda se o universitário utlizou algo além de álcool.

Na tarde desta segunda (27), a corporação também informou que a investigação do caso ficará a cargo do delegado Paulo Jean, da equipe da Delegacia de Polícia de Delitos de Trânsito.

Homenagens

A advogada Maria Emília Guimarães Silveira foi homenageada nesta segunda-feira (27). Ela era funcionária do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE). A mesa em que Maria Emília trabalhava no Fórum Paula Batista, no Centro do Recife, amanheceu com flores colocadas por amigos e colegas de trabalho. O local em que ocorreu o acidente também recebeu flores, como forma de homenagens às vítimas.

Uma circular foi afixada na parede do prédio, informando que, em virtude do óbito, as atividades estavam suspensas nesta segunda. O Tribunal de Justiça, a Universidade Católica de Pernambuco e a Ordem dos Advogados do Brasil em Pernambuco (OAB-PE) divulgaram notas de pesar.

Deixe seu comentário