Com Governo Presente, Paulo Câmara buscar dar mais visibilidade para segurança

Paulo Câmara nega que intensificação de agenda tenha relação eleitoreira

Em um ano em que o governador Paulo Câmara (PSB) tentará a reeleição e que tem como um dos principais calos do sua gestão a questão da segurança pública, o governo estadual resolveu intensificar as ações do programa Governo Presente, voltado para ações de prevenção à violência. O programa teve sua agenda de 2018 lançada em um grande evento, que lotou o Salão das Bandeiras, no Palácio do Campo das Princesas, no final de fevereiro. As ações deste ano já foram às cidades de Jaboatão dos Guararapes, Caruaru e Recife. É uma ação muito focada na comunidade, agindo diretamente com o cidadão, o mesmo eleitor que irá às urnas em outubro. Em 2011, foi instituído pela Lei nº 14.357, de 14 de julho.

Tanto o governador quanto aliados negam que a agenda esteja atrelada ao calendário eleitoral. Para Paulo Câmara, as atividades foram intensificadas devido às mudanças propostas pelo secretário de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude, Cloves Benevides. “Ele está tomando um formato que eu entendi como interessante, porque motiva e anima a comunidade a participar principalmente nos ambientes das escolas com essas atividades”, disse o governador. Entre as inovações, está o projeto o Juventude Presente, que oferece oficinas de esporte, lazer e cultura. Em Jaboatão, Caruaru e Recife foram oferecidos serviços como emissão da carteira de identidade, CPF e a segunda via das certidões de nascimento e casamento, além de atendimentos de saúde.

No Agreste, a atividade ocorreu no dia 3, mesma data escolhida pelo grupo de Oposição Pernambuco Quer Mudar para o seu ato. O motivo não foi confirmado, mas que provavelmente afastou o socialista da agenda, já que ele esteve presente em Jaboatão e no Recife. Além dessas duas cidades, o programa irá, ainda, a Petrolina, Paulista e Cabo. A escolha dos locais é feita de acordo com dados de violência da Secretaria de Defesa Social (SDS). Por coincidência, parte desses municípios são governados por opositores ao socialista.

Paulo Câmara negou a relação das cidades com uma necessidade de aproximação do governo. “Independente de posição política dos prefeitos ou não, a gente vai continuar a fazer isso, sempre fez. Há uma intensificação porque o novo formato apresentado pelo secretário Cloves Benevides mostra que é possível fazer mais com menos”, explicou. “O Governo Presente ajuda a mostrar que o governo está trabalhando e só. Se for em um evento, vai ver que não tem política. É serviço e cobrança para o serviço sair bem feito”, acrescentou o socialista.

ALIADOS
O secretário Cloves Benevides, escolhido por lideranças do PP após cobranças do partido por mais espaço no governo, também negou a relação eleitoral. “Não é uma agenda propriamente dita eleitoral. Até o último dia daqueles mandatos que são atribuídos àquelas pessoas que fazem a gestão das políticas, melhorar e inovar é sempre um caminho”, disse. O secretário afirmou que não tem pretensões de deixar o cargo em abril para concorrer na eleição.

“Talvez o novo secretário esteja querendo dar uma nova dinâmica ao programa, mas a essência do programa existe desde 2008. Não vejo nenhuma vinculação eleitoral”, afirmou o presidente do PSB-PE, Sileno Guedes. (JC)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here