Coluna Pega-Fogo: A despesa do gabinete de Paulo Câmara no ano pré-eleitoral

Governador Paulo Câmara (PSB).

A despesa do gabinete de Paulo Câmara no ano pré-eleitoral

Coluna Pega-Fogo – 30 de janeiro 

O governador do estado, Paulo Câmara (PSB), desde que iniciou sua gestão a frente de Pernambuco, tem discursado repetidas vezes, analisando a crise econômica que tem afetado as administrações públicas do país.

Apesar de a crise existir, o Gabinete do Governador não tem recebido cortes financeiros ou enxugamento da máquina pública, pelo contrário, desde o ano passado que Câmara tem cooptado novos políticos e dividido as secretarias da sua gestão com os vários partidos, que tenta manter aglutinados para as eleições deste ano, na Frente Popular de Pernambuco.

Em 2014, no primeiro ano da sua gestão, Paulo Câmara gastou com seu Gabinete R$ 18,8 milhões, no ano seguinte, caiu para R$ 12,7 milhões, demonstrando, claramente, que o fator eleição influencia nas despesas palacianas. No ano de 2016, o chefe do executivo manteve as despesas na casa R$ 12,6 milhões. No ano pré-eleitoral, a despesa voltou a subir, chegando aos R$ 14, 3 milhões, e tendo um aumento de R$ 1,6 milhão.

No ano passado, o governador pagou mais de R$ 6,1 milhões com vencimentos e vantagens fixas, além de R$ 2,6 milhões com locação de mão-de-obra. Outros serviços terceirizados custaram R$ 2,3 milhões, enquanto para manutenção do gabinete, R$ 1,2 milhão foram utilizados em material de consumo.

Não para por aí, com ressarcimento de despesas de pessoal requisitado, Câmara gastou R$ 691 mil. Para percorrer o estado e realizar viagens externas, foram gastos R$ 618 mil com passagens e despesas com locação de veículos e transporte aéreo. Os demais gastos são irrisórios.

Em outros números, Paulo Câmara iniciou 2017, gastando em janeiro (R$ 495 mil); fevereiro (R$ 865 mil); março (R$ 1,05 milhão); abril (R$ 1,01 milhão); maio (R$ 1,06 milhão); junho (R$ 1,025 milhão); julho (R$ 1,3 milhão); agosto (R$ 1,2 milhão); setembro (R$ 947 mil); outubro (R$ 1,2 milhão); novembro (R$ 1,5 milhão) e dezembro (R$ 2,5 milhão).

Os fornecedores mais beneficiados pelo Gabinete de Paulo Câmara foram: Viaserv Terceirização LTDA (R$ 1,1 milhão); Pessoal Engenharia e Serviços EIRELI-ME (R$ 862 mil); Encred EIRELI (R$ 592 mil); Kaluah Comércio e Serviços LTDA-ME (R$ 527 mil) e 2G Turismo & Eventos LTDA-EPP (R$ 311 mil).

ATO ELEITOREIRO – O secretário de transportes, Sebastião Oliveira, trouxe o Governador Paulo Câmara (PSB) para realizar o seu primeiro ato de 2018 em Serra Talhada, prometendo realizar a construção do Hospital Geral do Sertão (HGS) em tempo recorde. No palanque, várias lideranças e muito entusiasmo com a obra, no entanto, após o evento, a população que trafega pela BR-232 só consegue enxergar um trator solitário realizando a terraplanagem de um terreno enorme. Tá faltando dinheiro ou máquina?

O serviço de terraplanagem do Hospital Geral do Sertão está sendo executado por uma única máquina. Foto: Robério Sá.

SEM PAGAMENTO – Os blogueiros e comunicadores do estado estão, até agora, aguardando o Governo Paulo Câmara pagar os débitos da campanha: “Tem trabalho do Governo do Estado”. No ano passado, o chefe do executivo retirou R$ 8,2 milhões da Secretaria de Habitação para alocar na Secretaria da Casa Civil, onde deveria ser investido na autopromoção governamental. A mudança foi feita através do famoso crédito suplementar.

SÃO FRANCISCO – No final de semana, a Frente de Oposições realizou o segundo encontro do “Pernambuco Quer Mudar”. Desta vez, em Petrolina, no berço do senador Fernando Bezerra Coelho (MDB), Ministro Fernando Filho e do prefeito Miguel Coelho. Na capital do sertão, o evento reuniu 3,5 mil pessoas. Após o ato, foi só elogio da oposição a “Família Coelho”. Na verdade, nem tanto assim, o vereador Júnior do Gás, aliado de Miguel Coelho, tomou um puxão de orelha por falar demais no WhatsApp. Esse é inocente!

NO AGRESTE – Se a oposição reuniu 3,5 mil pessoas em Petrolina; em Caruaru a situação pode não ser a mesma. No Agreste, principalmente, na cidade comandada pela prefeita Raquel Lyra (PSDB), e o pai, o ex-governador João Lyra, a coisa é complicada, pois, eles são os únicos que não apoiam Paulo Câmara, que tentará a reeleição. Diante deste fato, a Família Lyra terá que mostrar força, reunindo mais de 3,5 mil pessoas para o terceiro “Pernambuco Quer Mudar”, que acontecerá no dia 3 de março.

O AZULÃO – De olho na reeleição, os deputados Sebastião Oliveira e Rogério Leão, ambos do Partido da República (PR), botarão o bloco “O Azulão” nas ruas de Serra Talhada, no Sertão de Pernambuco, no próximo dia 8 de fevereiro. Nos bastidores, aliados afirmam que o movimento festivo é para confrontar o prefeito Luciano Duque (PT), que no final de semana colocou Marília Arraes para decolar ao Governo do Estado, reunindo mais de 3 mil pessoas e cerca de 80 diretórios da legenda.

Zé Neto participa de ato das oposições em Petrolina.

CORRIDA ELEITORAL – Durante o ato das oposições em Petrolina, o nome do empresário Zé Neto voltou a ser cogitado no grupo do Ministro de Minas e Energia, Fernando Filho (Sem Partido) para concorrer a uma das vagas da Assembleia Legislativa de Pernambuco. No palanque, ele apareceu ao lado do empresário Rafael Coelho e do vereador licenciado e secretário municipal, João Batista da Gama (PDT).

DE OLHO NA ASSEMBLEIA – Em Petrolina, quem não tem perdido tempo fortalecendo sua pré-candidatura a Casa Joaquim Nabuco é o assessor de articulação institucional do Governo Miguel Coelho, Orlando Tolentino (PMDB), que no final de semana participou do “Pernambuco Quer Mudar” e, em seguida, foi se reunir com o poeta e cantor, Flávio Leandro. A agenda terminou com muita fartura e apertos de mãos no interior de Petrolina. Esse tá com a gota serena pra ser deputado no Grupo de Fernando Bezerra Coelho!

PERGUNTA DE FOGO – Essa suposta aliança entre PSB e PSDB procede?