Coluna Pega-Fogo: Armando Monteiro e Mendonça Filho terão longo caminho para se reeleger

Mendonça Filho e Armando Monteiro.

Coluna Pega-Fogo – 29 de maio de 2018

Armando Monteiro e Mendonça Filho terão longo caminho para se reeleger

O Senador Armando Monteiro (PTB) terá um longo caminho para conseguir se eleger governador do Estado, nas eleições deste ano. Apesar de possuir uma frente de oposição bastante forte e capitaneada pelo PTB, DEM, PSDB, Podemos, PV e PRB, o candidato terá que enfraquecer a base do Governador Paulo Câmara (PSB).

Para vencer as eleições deste ano, Monteiro precisará entrar no ritmo do momento, que trata do clamor dos eleitores por um governante popular, com liderança e força para voltar a colocar o Estado no trilho do desenvolvimento.

Na última eleição, o petebista foi atropelado pela Frente Popular de Pernambuco, que carrega o legado do ex-governador Miguel Arraes, um símbolo que já rendeu muito cacife eleitoral para os candidatos do PSB – mas, agora rende a favor da vereadora do Recife e pré-candidata a governadora, Marília Arraes (PT). Todavia, seu maior erro é se apresentar como um candidato das elites, do setor industrial e empresarial, que vai na contramão do que clama a população pernambucana.

Armando Monteiro terá dois desafios para as eleições deste ano. Primeiro, se tornar popular e uma liderança que o povo pernambucano acredite que possa realizar as mudanças necessárias nas áreas sociais – pois na área economia e empresarial, todos têm certeza que pode. E, segundo, construir uma candidatura com força de penetração para cooptar lideranças da Frente Popular.

Até o mês de maio, o petebista não fez nenhuma das duas coisas, e a impressão que passa é que ao final da eleição, o resultado será o mesmo de 2014, Paulo Câmara disparado na frente e Armando Monteiro em segundo, e diga-se de passagem: “Errar é humano, mas errar na mesma tecla é burrice”.

Já o ex-ministro da educação e pré-candidato ao Senado Federal, Mendonça Filho (DEM), tem um caminho mais largo para trilhar com sua candidatura, pois enfrentará o acomodado político e deputado federal Jarbas Vasconcelos (MDB), que disputa essa eleição para conquistar mais um troféu, e não para construir um novo Pernambuco, haja vista que está na carreira política desde 1970, quando conquistou o seu primeiro cargo eletivo como deputado estadual. Prestes a completar 76 anos, se for eleito, poderá nem terminar o mandato de senador – que é de oito anos – e, caso termine chegará lá aos 85 anos.

Um fator a ser considerado favorável a Mendonça Filho é a indisposição de Vasconcelos a essa idade para concorrer e protagonizar em uma eleição tão acirrada como será a deste ano. Após passar pelo Ministério da Educação, Mendonça construiu as pontes necessárias para ascender ao Salão Azul.

Assim como Armando Monteiro, o democrata precisará apenas cooptar alguns deputados da base de Paulo Câmara para fortalecer sua candidatura, como conquistou o apoio do deputado federal da base de Câmara, Augusto Coutinho (SD).

Entre os candidatos que disputam o Senado Federal, Mendonça Filho, certamente, é o que terá mais chance com a saída de Armando Monteiro do pleito para disputar o governo – pois além da saída tem ele no palanque.

Com a turbulência que vive o Senador Humberto Costa (PT) e a indefinição do deputado federal Silvio Costa (Avante) e do deputado estadual André Ferreira, Mendonça Filho largará com muita força para a corrida ao Salão Azul, e com chances de terminar a eleição, como o senador mais bem votado do Estado.

PT NO RECIFE – Sem Marília Arraes, um grupo de petistas junto com o presidente da legenda, Bruno Ribeiro, lançaram no bairro Brasília Teimosa, em Recife, a pré-candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no fim de semana.

O curioso foi que as trincheiras do Senador Humberto Costa e Bruno Ribeiro não reuniram mais de 50 pessoas para o ato em apoio a Lula, em um dos bairros mais importantes da Região Metropolitana. “Falta de força ou disposição política?”

INSTABILIDADE – O Governador Paulo Câmara (PSB) vivencia uma situação de dupla mão com a greve dos caminhoneiros, que chega ao nono dia, diga-se de passagem, a maior da história na América Latina.

Com uma gestão mal avaliada, o socialista tem a possibilidade de mostrar sua força de governo e resolver essa crise, fortalecendo o setor dos derivados de petróleo ou então passar a crise para o Presidente da República, Michel Temer (MDB). Para o pior governador da história de Pernambuco, resolver o problema é a melhor forma de recuperar sua imagem e voltar a ascender para o pleito de outubro.

SERRA TALHADA – O prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque (PT), se reuniu nessa segunda-feira, dia 28, com empresários da cidade para traçar um plano de ação para superar a crise do desabastecimento de combustível e gás de cozinha.

Na reunião, Duque pediu para a população economizar no uso dos derivados de petróleo e no gás de cozinha, e disse que estava providenciando um caminhão com 15 mil litros de gasolina para estabilizar os serviços públicos na Capital do Xaxado, através da Amupe. “Vamos procurar economizar o gás, o combustível que ainda resta porque nós não sabemos exatamente o que vai acontecer”, disse o gestor.

FRACO – A Cavalgada da Pedra do Reino, em São José do Belmonte, foi abaixo do esperado neste ano, devido à crise do desabastecimento de combustível, em todo o interior de Pernambuco. Sem grandes atrações, muitas lideranças não compareceram ao evento, promovido pelo Prefeito Romonilson Mariano (PHS).

PERGUNTA DE FOGO – Fernando Filho se pronunciará quando sobre a crise do setor energético brasileiro?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here