Coluna Pega-Fogo desta sexta-feira

Deputado Estadual, Guilherme Uchôa.

Guilherme Uchôa vira pauta na Assembleia Legislativa

Coluna Pega-Fogo – 23 de fevereiro 

Na sessão dessa quinta-feira, dia 22, a pauta da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) foi o deputado estadual e presidente da Casa das Leis, Guilherme Uchôa, que anunciou que sairá no próximo dia 7 de março, do Partido Democrático Trabalhista (PDT).

O anúncio aconteceu durante um voou de Brasília para Pernambuco, onde o parlamentar afirmou que estaria deixando a legenda após o veto dado pela Executiva Estadual ao ingresso do seu filho e empresário, Guilherme Uchôa Júnior, que trocaria o PSB pelo PDT.

Nos bastidores da Casa Joaquim Nabuco, comenta-se que o chefe do Legislativo estaria revoltado com a posição do Governador Paulo Câmara (PSB), que deixou livre os aliados para realizarem chapinhas.

O presidente do PDT, Wolney Queiroz, definiu que ninguém com mais de 50 mil votos entraria na legenda. Além disso, lançou uma chapa com Solidariedade, PP, PCdoB e PSL. A aliança acabou frustrando os planos de Uchôa Júnior, que pretendia trocar o PSB pelo PDT e, ainda, obter mais de 50 mil votos nestas eleições.

A saída da Guilherme Uchôa fortalece a liderança de Queiroz, porém, por outro lado, enfraquece a sigla que deverá perder quatro deputados que seguem o líder maior. No entanto, nos corredores da Assembleia Legislativa o que se falava era que mais três ou quatro deputados da base de Paulo Câmara, também, seguiriam o chefe do Legislativo.

Um deputado da base Palaciana, em reserva, afirmou que a relação ficou estremecida entre Uchôa e a Executiva do PDT, impactando, negativamente, também, na composição do grupo do governador.

“Com a negação de legenda ao filho de Uchôa, criou-se imbróglio que afetou diretamente o projeto do governador. Paulo Câmara deverá estar se reunindo, em breve, com o presidente para tratar do assunto”, disse o parlamentar, da Frente Popular.

Um dos aliados de Uchôa foi mais incisivo, e apontou que essa situação criou expectativa de embarque para a oposição. “Existe possibilidades de marcharmos com a oposição, porém, quem decidirá será Guilherme Uchôa, o melhor caminho”, disse.

Falando a um veículo de comunicação da capital, ontem, Uchôa disse: “O meu problema é com o PDT. Vou sair do partido no dia 7 de março com os quadros da legenda”. E, completou: “Eu já vi deputado sem voto ser rejeitado, agora com voto, é a primeira vez”, ironizou.

Apesar da declaração, os rumores aumentaram ainda mais na Assembleia Legislativa, sobre o desembarque de Guilherme Uchôa da Frente Popular de Pernambuco para ingressar na Frente de Oposição, capitaneada pelos Senadores Armando Monteiro (PTB) e Fernando Bezerra Coelho (MDB).

ENCONTRO – A ex-senadora e pré-candidata a Presidência da República, Marina Silva (Rede), se encontrou, ontem (22), com a ex-primeira-dama do Estado, Renata Campos, durante sua passagem pelo Recife (PE).

Ao falar com a imprensa, Marina negou ter discutido sobre as eleições de 2018, entretanto, afirmou que caso avance para o segundo turno, irá procurar o Partido Socialista Brasileiro (PSB). “Tenho muita gratidão pelo que vivi ao lado do PSB durante o período em que foi negado o registro da Rede. E a gente continua junto. Temos grandes ideais para defender”, disse.

EMBATE – O novo pedido de dissolução do Diretório do MDB de Pernambuco não fez o vice-governador do Estado e presidente da legenda, Raul Henry, recuar contra o senador Fernando Bezerra Coelho, que ingressou, recentemente, na legenda.

O anúncio do novo pedido de dissolução feito pelo presidente da sigla a nível nacional, Romero Jucá (RR), ainda, não foi repassado para Raul Henry. Mesmo assim, em entrevista, o emedebista voltou a criticar Bezerra Coelho. “Sua entrada no partido foi deselegante, desleal, traiçoeira e oportunista”, disparou. Em resposta às acusações, o senador disse: “Lamento que o vice-governador insista numa versão que não encontra apoio na realidade dos fatos, que antecederam o meu ingresso no MDB, por convite da direção nacional. As agressões pessoais são próprias dos que não têm argumentos”.

INVESTIMENTO – O prefeito Luciano Duque (PT) anunciou que, em breve, estará dando ordem de serviço para calçar mais quatro ruas de Serra Talhada, no Sertão de Pernambuco.

As obras contemplarão as ruas: José Joaquim de Lima, Osvaldo de Godoy Lima, Antônio Alves de Oliveira e Vereador Espedito Eliodório, no bairro da AABB. Segundo o chefe do executivo, serão investidos R$ 381.871,57, sendo R$ 314.999,57 provenientes de emenda parlamentar do deputado Augusto César, através do Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento Municipal (FEM) e R$ 66.872,00 de contrapartida do município. Serão mais 4.306,59 m2 de área pavimentada para melhorar a infraestrutura da Capital do Xaxado.

FISCALIZAÇÃO – A Casa Legislativa de Salgueiro, no Sertão de Pernambuco, seguiu a proposição do vereador André Cacau (PT), e anunciou ontem, dia 22, abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar irregularidades em um processo seletivo para professores, principalmente, nos editais 01 e 03 de 2018.

Durante os próximos 90 dias, o prefeito de Salgueiro, Clebel (MDB), estará na mira dos parlamentares, que irão investigar se há ou não irregularidades na sua gestão.

PERGUNTA DE FOGO – Marina Silva participará dos debates políticos nas eleições deste ano?