Coluna Pega-Fogo: Prisão de Lula muda cenário eleitoral e afeta Marília Arraes e Humberto Costa

Senador Humberto Costa e Marília Arraes. Foto: Reprodução.

Coluna Pega-Fogo – 16 de abril de 2018 

Prisão de Lula muda cenário eleitoral e afeta Marília Arraes e Humberto Costa

A prisão do ex-presidente Lula afetou o cenário da corrida eleitoral deste ano. O primeiro fator foi a indefinição da eleição, já que diante dos números divulgados pelos institutos de pesquisas, ainda não se pode dizer qual candidato é favorito, no entanto, sem o petista, Jair Bolsonaro (PSL) aparece com 17%, seguido de Marina Silva (Rede) com15%, segundo pesquisa do DataFolha divulgada no final de semana.

Em Pernambuco, a candidatura de Marília Arraes (PT) pode ser tanto beneficiada como prejudicada com a prisão de Lula. Os petistas ainda não conseguiram identificar os pontos positivos e negativos desse episódio para a corrida estadual, muito embora a prisão do líder-mor tenha enfraquecido a legenda, pelo menos na disputa eleitoral.

Com relação a popularidade da sigla, os indicadores apontam que o Partido dos Trabalhadores (PT) cresceu e incorporou no país um sentimento de restauração dos governos populares de Lula e Dilma.

Nessa indefinição, partidos de centro-esquerda e direita podem ser beneficiados no processo eleitoral. Apesar das dificuldades de governabilidade, em Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), ainda, aparece como favorito para a reeleição, seguido do Senador Armando Monteiro (PTB) e da Vereadora do Recife, Marília Arraes (PT).

Em tese, a neta de Miguel Arraes está sendo beneficiada com a prisão de Lula, pois dificultou ainda mais uma aliança entre PT e PSB, por outro lado, a prisão do líder acaba enfraquecendo sua candidatura. Outro fator, que pode ter lhe afetado, também, foi a saída do ex-prefeito do Recife, João Paulo (PT); ex-vereador, Osmar Ricardo e o ex-prefeito de Águas Belas, Genivaldo Menezes, todos ingressaram no PCdoB de Luciano Siqueira – vice-prefeito do Recife (PE) – e integrante da Frente Popular, capitaneada por Paulo Câmara.

Com a prisão de Lula, a eleição foi afetada a nível nacional, mas também a nível estadual. Nesse imbróglio eleitoral aparece Arraes com indefinição de candidatura e de chapa e, ainda, sem um consenso com o senador Humberto Costa (PT) para a disputa eleitoral. Ambos, não acertaram os “ponteiros” para disputa eleitoral e demonstram terem sentido o golpe da prisão do ex-presidente.

AMBIGUIDADE – O Governo Paulo Câmara decretou estado de calamidade (emergência) há algumas semanas atrás para o município de Bodocó, no Sertão de Pernambuco, por causa da estiagem.

No entanto, nessa última semana, a cidade recebeu uma enorme quantidade de chuvas, e o prefeito Túlio Alves Alcântara, decretou estado de emergência, após a cidade ser inundada, deixando inúmeras famílias desalojadas.

O curioso é que o decreto do Governo do Estado acabou sendo revogado em vários municípios, na última semana com o alto índice de chuvas, tanto no Grande Recife como no interior.

NOVO NOME – O vereador de Serra Talhada Sinézio Rodrigues (PT), entra na onda do Partido dos Trabalhadores e pede alteração de nome na Câmara de Vereadores, assim como fez Marília Arraes, em Recife, onde solicitou a inserção de “Lula” no seu nome.

Inspirado pelo movimento “Eu sou o Lula”, o petista mudou suas redes sociais e incorporou o nome: “Sinézio Rodrigues Lula da Silva”. A ideia é criar uma grande corrente política em apoio ao ex-presidente, que foi preso por crimes de corrupção.

REELEIÇÃO – De olho na renovação dos mandatos, o deputado federal Fernando Filho (DEM) e a deputada estadual, Socorro Pimentel, se colocaram à disposição de Bodocó para ajudar, após as chuvas que inundaram a cidade.

O prejuízo estimado na cidade foi R$ 2 milhões com destruição de aparelhos públicos e estradas que ligam o centro urbano a zona rural. Espera-se, que os parlamentares não aparecem apenas no período eleitoral, mas também proporcionem investimentos para o crescimento da cidade.

DESORDEM – Na Câmara de Vereadores de Serra Talhada, o presidente Nailson Gomes (PTC) decidiu beneficiar apenas o pessoal ligado a sua conjuntura política.

Os gastos da Casa Legislativa tem sido uma corda no seu pescoço, e os ataques sobre gastos com viagens, licitações, aumento de recursos oriundos a sua função, assim como os desdenhes continuam sendo alvos de críticas na sua governança.

PERGUNTA DE FOGO – Os assessores de Duque conclamam Márcio Oliveira antes da hora. O prefeito já descartou Faeca Melo e Marcos Godoy para 2020?

Coluna Pega-Fogo: Hegemonia do PSB à frente de Pernambuco mostra seus retrocessos

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here