Coluna Pega-Fogo: Disputa jurídica do MDB endossa saída de Fernando Filho, Kaio Maniçoba e Aline Mariano  

Fernando Filho, Aline Mariano e Kaio Maniçoba. Montagem: Robério Sá.

Coluna Pega-Fogo – 09 de abril de 2018 

Disputa jurídica do MDB de PE endossa saída de Fernando Filho, Kaio Maniçoba e Aline Mariano  

O Movimento Democrático Brasileiro (MDB) se tornou um partido de peregrinação e crucificação para líderes políticos em Pernambuco. O entrave pela presidência da legenda envolvendo o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB), vice-governador Raul Henry e o deputado federal Jarbas Vasconcelos tem afastado os políticos que pretendem disputar as eleições deste ano.

Entre sexta-feira e sábado, os deputados Kaio Maniçoba, Fernando Filho e Aline Mariano decidiram tomar um novo rumo político ao invés de carregarem a cruz que o MDB de Pernambuco se tornou.

Fernando Filho, por exemplo, chegou a se filiar ao partido do presidente Michel Temer a pedido do seu pai, Bezerra Coelho. No entanto, após o pai perder o partido em 48 horas por decisão judicial, decidiu, de última hora, resgatar o plano anterior e se filiar ao Democratas (DEM), do ex-ministro da educação Mendonça Filho.

Kaio Maniçoba, por outro lado, passou os últimos dois anos filiado ao MDB. Na época, ingressou no partido depois de uma costura política do Governador Paulo Câmara, que o colocou na Secretaria Estadual de Habitação, pela cota de Henry e Jarbas no governo. Sua chega ao Palácio do Campo das Princesas, proporcionou a Luciano Bivar (PHS) – do seu partido antes de chegar a pasta – assumir uma cadeira na Câmara dos Deputados.

Depois de cumprir sua passagem pela Secretaria de Habitação, onde dividiu elogios e críticas ao presidente Michel Temer, Maniçoba decidiu permanecer na base de Paulo Câmara, mas disputar a reeleição pelo Solidariedade (SD), de Augusto Coutinho, que deverá fazer parte de uma chapinha encabeçada pelo PP, PDT, PCdoB e PROS. A sigla prende eleger entre seis e sete deputados nas eleições.

Por último, a vereadora do Recife, Aline Mariano, deixou a legenda para ingressar no PP de Eduardo da Fonte, onde pretende disputar uma vaga na Assembleia Legislativa. A parlamentar vem de três eleições vitoriosas e pretende expandir sua área de atuação política.

Enquanto ocorreu o “pula-pula partidário”, o imbróglio da sigla permaneceu o mesmo, e sem data para findar-se. O senador Fernando Bezerra Coelho continua sendo o mais prejudicado até o momento, pois pretende disputar as eleições contra Paulo Câmara pela coligação “Pernambuco Quer Mudar”.

CANDIDATO – Na oposição, a escolha do nome pleiteante a governador do estado nas eleições deste ano, deve ocorrer entre Mendonça Filho e Armando Monteiro.

No último ato das oposições, as lideranças não conseguiram definir a chapa devido o entrave do MDB, que no momento nem compõe a base de Paulo Câmara e nem a base de oposição. Com isso, as lideranças preferiram estender o prazo para o final do mês, em respeito à Fernando Bezerra Coelho.

PRESIDÊNCIA – Apesar da prisão de Lula, a corrida presidencial continua a todo vapor. Na última sexta-feira, dia 6, o ex-ministro do STF Joaquim Barbosa assinou sua ficha de filiação ao PSB, e deve concorrer à Presidência da República, como forte candidato.

Por outro lado, a prisão de Lula fortaleceu a imagem do Partido dos Trabalhadores (PT) e reacendeu o “lulismo”, e também poderá eleger o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad.

FORÇA – O nome de “Marília Arraes” se tornou símbolo de força dentro do Partido dos Trabalhadores (PT) de Pernambuco. O presidente da legenda é Bruno Ribeiro, entretanto, o nome que a militância ovaciona é o do legado da Família Arraes.

Apesar de complexo, Arraes deverá concorrer ao Governo de Pernambuco e sua afinidade com Lula se tornou o maior trunfo do seu projeto eleitoral.

TIRO POLÍTICO – A delegada conceituada em Pernambuco, Gleide Ângelo, se filiou ao PSB na última quinta-feira, na sede estadual do partido. Sua ficha foi abonada por João Campos, vice-presidente nacional de Relações Federativas da sigla.

Gleide Ângelo deverá concorrer a vaga na Assembleia Legislativa, e fazer dobradinha com João Campos, que tentará se eleger deputado federal pela Frente Popular de Pernambuco.

PERGUNTA DE FOGO – João Paulo é considerado um traidor no PT?

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here