Coluna Pega-Fogo: Sorte será lançada sobre a carreira política de Júlio Lóssio em Petrolina

Depois de governar Petrolina por oito anos, Júlio Lóssio pode ficar inelegível. Foto: Reprodução/Internet.

Sorte será lançada sobre a carreira política de Júlio Lóssio em Petrolina

Coluna Pega-Fogo –  08 de fevereiro 

As contas do ex-prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio, encontram-se nas mãos de 23 vereadores que compõem a Casa Plínio Amorim e que, após o carnaval, deverão votar as contas aprovadas com ressalvadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-PE) do exercício de 2010.

Para as contas serem rejeitadas, o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (PSB), precisa reunir 16 votos para assolar a carreira política de Lóssio. Por outro lado, o ex-prefeito trabalha para reunir 8 votos favoráveis a aprovação das suas contas – o que representa um terço dos votos da Casa das Leis.

Nos bastidores, fala-se que os vereadores Gabriel Menezes (PSL), Cristina Costa (PT), Gilmar Santos (PT), Domingos de Cristália (PSL), Elismar Gonçalves (MDB), Alex de Jesus (PRB) e Paulo Valgueiro (MDB) votarão pela aprovação do exercício de 2010.

Entretanto, especula-se que o voto decisivo estaria com o Presidente da Comissão de Finanças e Orçamentos da Câmara de Vereadores, Ronaldo Silvo (PSDB), que discordou do relatório apresentado pelo vereador Aero Cruz (PSB), pedindo a rejeição das contas.

Desde o ano passado, o vereador, que é aliado do suplente de deputado federal, Guilherme Coelho (PSDB), anda estremecido com a base do Governo Miguel Coelho, por isso, seu voto, supostamente, seria “inegociável” o que coloca na posição decisória na votação, tendo em vista que os demais parlamentares são de oposição.

Após o carnaval, as contas de Júlio Lóssio deverão ser colocadas em votação pelo presidente do Legislativo, Osório Siqueira (PSB).

A sorte do ex-prefeito se encontra nas mãos dos sete vereadores e mais o voto imprevisível de Ronaldo Silva. Os outros votos, dificilmente, trarão alguma surpresa, uma vez que os parlamentares compõem a base do Governo Miguel Coelho.

DISPUTA ACIRRADA – O deputado estadual e pré-candidato ao governo do estado, Odacy Amorim, recebeu o apoio do presidente do diretório do PT de Recife, Osmar Ricardo e seu grupo, no entanto, no final do dia de ontem, dia 7, dirigentes da legenda reafirmaram apoio a candidatura de Marília Arraes.

Nos bastidores, fala-se que caso a legenda decida seguir candidatura própria nas eleições deste ano, a convenção do partido será polarizada entre Odacy e Marília. No corpo a corpo, pelo visto, o deputado petrolinense perderia, uma vez que é o voto da militância que define o candidato da majoritária e, sendo assim, a neta de Miguel Arraes mostra vantagem.

MAL NECESSÁRIO – O deputado federal licenciado e secretário de transportes, Sebastião Oliveira (PR), está tentando adotar a prática de só falar com quem tem afinidade, como faz com a imprensa serra-talhadense.

No entanto, a estratégia utilizada no seu reduto eleitoral não funcionou com os deputados da Casa Joaquim Nabuco, que sequer conseguem entrar em contato com o auxiliar de Paulo Câmara e, também, reclamam que as requalificações e ações da Secretaria de Transportes são apenas realizadas em municípios onde Sebastião Oliveira possui voto ou apoio político. Contudo, o governador não puxa a orelha do secretário, pois dado o momento de crise necessita dos 115. 926 votos do cabo eleitoral para se reeleger. Na época, do ex-governador Eduardo Campos, o estado pelo menos tinha ordem, agora ninguém sabe.

VIOLÊNCIA – O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) defendeu, ontem (7), a integração das políticas públicas para a segurança, associadas à inclusão do cidadão no mercado de trabalho.

Segundo o emedebista, existe uma relação direta entre o desemprego e o crescimento da violência e criminalidade. Na tribuna do Senado, Bezerra Coelho, ainda destacou: “Porém, em três anos da atual gestão estadual, Pernambuco é hoje campeão em violência e homicídios. São mais de 5,4 mil mortes (em 2017)”.

“A crise econômica pode ter ajudado; mas, o fracasso da política de segurança pública no estado de Pernambuco não pode ser transferido para a responsabilidade do governo federal”, acrescentou o senador.

TEMER NA MIRA – O senador Humberto Costa (PT) usou a tribuna, ontem, para defender o ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, pela perseguição que tem sofrido do judiciário brasileiro. Na ocasião, o petista mirou fogo no atual presidente da república.

“Enquanto o líder mais popular do país é condenado e não tem conta no exterior, nunca carregou malas de dinheiro e não tem recibos em contas pessoais, o sujeito mais detestado e mais enlameado do país, que é Temer, ocupa o cargo de presidente da República”, disse.

PARALISAÇÃO – Nessa quarta-feira, dia 7, o Sindicato de Vigilantes do Sertão (Sindvig), reivindicou, entre outras coisas, o aumento de salário e outros benefícios para a categoria, que trabalha em agências bancárias e em outros espaços, oferecendo segurança. No Sertão de Pernambuco, a paralisação aconteceu em Petrolina, Salgueiro e Serra Talhada.

O protesto tem duração de 24 horas e deverá terminar nesta quinta-feira, dia 8, caso haja acordo com os chefes das empresas de vigilância, durante reunião.

PERGUNTA DE FOGO – Humberto, Odacy e João Paulo vencerão a militância sobre aliança entre PT e PSB?

LEIA TAMBÉM