Coluna Pega-Fogo: Uma chapa interessante para a Frente das Oposições

Fernando Bezerra e Armando Monteiro na mesma chapa. Foto: Reprodução.

Uma chapa interessante para a Frente das Oposições

Coluna Pega-Fogo – 31 de janeiro

No meio político todo bom analista sabe que os senadores Fernando Bezerra Coelho (MDB) e Armando Monteiro (PTB), querem governar o estado de Pernambuco, a partir de 2019. Toda essa animação, contagiada pelo “frevo”, que ambos querem pular nesta eleição, talvez seja a boa dose de convergência de interesses antagônicos e, ao mesmo tempo, intrínsecos que tornem o “Pernambuco Quer Mudar” um movimento vitorioso.

Essa, certamente, seria uma chapa que aglutinaria os interesses das sete siglas, que integram a frente, a citar: PSDB, PV, MDB, PRTB, PTB, PRB e Podemos. Os motivos de essas siglas permanecerem juntas nessa frente seriam porque, ambos, possuem capital financeiro, prestígio, além da máquina pública federal para igualar a corrida eleitoral na disputa contra o governador Paulo Câmara (PSB) – que tentará a reeleição – e ainda não encontrou um vice para compor sua chapa, na Frente Popular de Pernambuco.

Fernando Bezerra conseguiria convergir os interesses e agregar as forças políticas da região do São Francisco e Agreste em torno deste projeto. Já, Armando Monteiro, contaria com a simpatia de boa parte do eleitorado sertanejo e, principalmente, da Zona da Mata e Região Metropolitana, além disso, eles uniriam o interesse do empresariado e do setor industrial neste projeto político.

Na retaguarda da chapa, a “tropa de choque” formada pelos ex-governadores, Joaquim Francisco e João Lyra Neto (PSDB), os ministros Fernando Filho (Sem Partido) e Mendonça Filho (DEM), além do deputado federal Bruno Araújo (PSDB) e Betinho Gomes (PSDB), entre outros deputados federais e estaduais, dariam suporte à campanha e ao esquema.

Não ficaria por aí, a Frente de Oposições contaria com o apoio de três prefeitos importantes, Miguel Coelho (Petrolina); Raquel Lyra (Caruaru), Anderson Ferreira (Jaboatão), além do ex-prefeito Elias Gomes (PSDB). A convergência de forças seria tão grande que, no primeiro turno da eleição, Paulo Câmara (PSB) teria dificuldade de emplacar vantagem na Região Metropolitana, Agreste de Pernambuco e São Francisco.

Sem dúvida, a máquina federal iria “moer” a favor da frente das oposições e o sucessor de Eduardo Campos teria grandes problemas para manter o controle eleitoral. Por isso, uma chapa “Armando Monteiro e Fernando Bezerra” seria esmagadora contra a Frente Popular de Pernambuco. Com isso, em vez de Câmara lutar pela reeleição no primeiro turno, ele teria que se desdobrar para ir ao segundo turno. Caso superasse Marília Arraes, teria, também, que conquistar o apoio do Partido dos Trabalhadores ou vice-versa. Apesar de, nos bastidores, políticos afirmarem que “Paulo Câmara não está morto”, a situação será crítica se os dois senadores derem as mãos para dançarem “frevo em cima do palanque”; não disputariam para ver quem seria o mais animado e sim para ver qual frente iria colorir o “Palácio do Campo das Princesas”, em outubro deste ano.

Marília Arraes visitando lideranças em Moreilândia.

ONDA VERMELHA – A prima de Eduardo Campos e neta do Miguel Arraes, a vereadora e pré-candidata ao governo, Marília Arraes (PT), parece que não vai sossegar enquanto não ver o governador Paulo Câmara (PSB) surfando contra a maré. Se é que ele já não anda surfando, ou melhor naufragando Pernambuco com um déficit de R$ 937 milhões em 2017.

Voltando a “onda vermelha”, a petista deixou Serra Talhada e partiu para uma extensa agenda pelo interior, visitando as cidades de Petrolândia, Moreilândia, Araripina, Ipubi, Bodocó e Salgueiro. Durante sua passagem pelos municípios, Arraes esteve conversando com vereadores, lideranças, prefeitos, ex-prefeitos, sindicalistas, agricultores e comunicadores do Sertão. Na capital, o impresso do irmão de Armando Monteiro, afirmou que a candidatura dela: “Decolou”. E, quem diria o contrário? Ops! Humberto Costa, Odacy Amorim, João Paulo e Bruno Ribeiro, esses aí ainda não sabem para onde vão na corrida eleitoral deste ano. Essa velha guarda é nó cego!

FREQUENTANDO A IGREJA – O prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (PSB), precisa, urgentemente, ir a Igreja Católica e orar pelo menos Sete Pai Nosso e Sete Ave Maria. Desde que iniciou um processo seletivo da educação, não tem sossego.

Ontem, dia 30, o filho do ex-prefeito, Júlio Lóssio, atanazou o WhatsApp deste blog enviando tanto documento e páginas de respostas, que quando abri pensei que era o processo de “Julgamento do ex-presidente Lula”. Mas, vamos aos fatos! Segundo Júlio Lóssio Filho, “a prova aplicada no dia 28 de janeiro de 2018 já estava completamente disponível na internet no dia 22 de janeiro (seis dias antes da prova do processo seletivo)!”. Sinceramente, depois dessa, os vereadores do “Novo Tempo” vão ter que deixar Júlio Lóssio pai, pelo menos, impedido de concorrer ao governo do estado, reprovando suas contas na Casa Plínio Amorim e o enquadrando na Lei da Ficha Limpa. É brincadeira! Mas, por amor de “deus”, deixem esse processo ser concluído, que as crianças precisam estudar. Eita moído!

CAMPANHA DO CORONEL – O deputado licenciado e secretário de transportes, Sebastião Oliveira (PR) e Rogério Leão (PR), estão promovendo e apoiando um evento denominado “Bloco do Azulão” – pense em um evento eleitoral bem disfarçado. Deixe-me contar: “Azul é a cor do Partido da República”. Isso é fato! Se não bastasse a cor do evento e suas características, a organização determinou que para entrar no “Tunas Clube”, em Serra Talhada, é preciso ir vestido de azul, no dia 8 de fevereiro. O evento que não tem nada de eleitoreiro, ainda, carrega o nome “Azulão”, que pactua com a música de campanha de Sebastião Oliveira nas eleições de 2012. O carnaval do coronel só vai ter duas pessoas vestidas de cor alternativa: um é Rosimerio de Cuca e o outro é Pinheiro do São Miguel, que misturaram o vermelho com o azul e, com certeza, vão vestidos de roxo.

Deputado Eduardo da Fonte e Alfredo Pinheiro.

MAIS UM NA DISPUTA – O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Pernambuco (Sindicombustíveis-PE), Alfredo Pinheiro, se reuniu com o deputado federal Eduardo da Fonte (PP), e confirmou sua pré-candidatura a Casa Joaquim Nabuco pelo Partido Progressista. Segundo Pinheiro, sua candidatura será traçada em defesa da categoria e dos seus direitos. Nessa candidatura poderá faltar tudo, menos gasolina e óleo para percorrer todo o estado. Arrocha Alfredo Pinheiro!

ESSE COMEMORA – O deputado federal e secretário de habitação Kaio Maniçoba (MDB), tem se tornado um sonhador estadista dentro do Governo de Paulo Câmara. Recentemente, disse em entrevista que se reelegeria com cerca de 100 mil votos, depois, afirmou que poderia ser candidato ao Governo do Estado nas próximas eleições, só não volto a dizer que ele tá “faltando com a verdade”, porque ele é de Floresta e vocês já sabem. Brincadeiras a parte!

O emedebista está comemorando a data de vencimento do ICMS sobre estoque que será estendida, permitindo que o imposto seja dividido durante todo o ano. “Será a primeira vez que o ICMS sobre o estoque será parcelado em 12 vezes, em Pernambuco. A ação é importante para recuperação do Polo do Araripe, atingido pela crise”, explicou Maniçoba.

Com essa ação, o polo gesseiro de Pernambuco deverá se recuperar durante este ano. Em 2017, segundo dados do governo estadual, o Polo Gesseiro do Araripe movimentou mais de R$ 70 milhões.

PERGUNTA DE FOGO – Será que o déficit do Governo Paulo Câmara deixará Pernambuco ingovernável?