Coluna Pega-Fogo: Sem apoio de Paulo Câmara para concorrer a Alepe, José Patriota limita carreira política na presidência da Amupe

José Patriota, Paulo Câmara e João Campos. Montagem: Robério Sá.

Coluna Pega-Fogo – 28 de março de 2018 

Sem apoio de Paulo Câmara para concorrer a Alepe, José Patriota limita carreira política na presidência da Amupe

O prefeito de Afogados da Ingazeira e presidente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), José Patriota (PSB), parece que realmente não possuirá força política para concorrer a uma cadeira na Assembleia Legislativa, nas eleições deste ano, pela Frente Popular.

Desde o ano passado que a liderança política anda estremecida com o chefe do executivo estadual. De dezembro pra cá, Paulo Câmara demonstrou insatisfação com José Patriota que, no seu próprio reduto eleitoral, não conseguiu ajudar o Governo do Estado a manter uma boa avaliação perante o eleitorado.

Na última aferição do Instituto Múltipla, Câmara possuía 37,8% de aprovação ante 51% de rejeição em Afogados da Ingazeira. Desde então, a candidatura de Patriota não voltou a ser cogitada no Palácio do Campo das Princesas.

Nos bastidores do poder, fala-se que a decisão da cúpula foi de que Patriota apoiará a candidatura do filho do ex-governador Eduardo Campos, João Campos, para o cargo de deputado federal. Entretanto, uma dobradinha, que era cogitada no ano passado pelo grupo do prefeito, deixou de ser mencionada e, daquela época em diante, o “silêncio” e uma “frieza política” tem rondado a relação política de Patriota e Paulo Câmara, segundo fontes palacianas.

Ainda, no ano passado, durante passagem pela cidade de São José do Egito, no Sertão do Pajeú, Paulo Câmara afirmou que até março a situação de Patriota seria definida. Entretanto, findando o mês de março, a candidatura do aliado não recebeu nenhuma motivação ou apoio da Frente Popular.

Relembre, o que o governador disse na ocasião: “Temos um prazo até março, então, vamos debater e aprofundar esse tema mas, com certeza, a decisão que Patriota tomar junto com seu grupo político e todos nós, terá meu apoio”.

Porém, nos bastidores, a situação é contrária. A candidatura de José Patriota parece que não vingará, já que se evidencia uma falta de sintonia do Palácio do Campo das Princesas com a ascensão dele ao cargo de deputado estadual.

Em 2016, Patriota foi eleito com 15,6 mil votos. Durante os dois mandatos de Eduardo Campos, foi o homem de confiança do governo. No entanto, após a chegada de Paulo Câmara ao Poder e a morte do ex-governador, ele perdeu grande espaço na base, apesar de ser uma liderança histórica do Partido Socialista Brasileiro (PSB).

Ele não foi o único, outros nomes ligados a Família Campos também perderam influência no Palácio desde a morte de Eduardo Campos.

NA BRONCA – O prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (PSB), está na bronca com os pais dos alunos da Rede Municipal de Educação (RME), que denunciam a falta das condições das escolas para realização de atividades administrativas.

Segundo a vereadora Cristina Costa (PT), nas escolas do município, falta crédito nos aparelhos telefônicos para comunicação pedagógica entre professores e pais, quando são registradas ocorrências com o alunado. Nessa terça-feira, dia 27, a parlamentar entrou com o requerimento de nº 051/2018 solicitando informações sobre o Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), referente aos anos de 2017 e início de 2018.

ELEIÇÕES 2018 – Os líderes da coligação “Pernambuco Quer Mudar”, capitaneada pelo PTB, PSDB, DEM, Podemos, PRTB e PV, devem anunciar a composição da chapa majoritária no próximo dia 7 de abril, quando um novo ato político ocorrerá em Ipojuca, reduto eleitoral do Senador Armando Monteiro (PTB). Entretanto, com a indefinição do MDB de Fernando Bezerra Coelho, o anúncio poderá ser prorrogado para o dia 20.

No último ato, em Caruaru, a Frente decidiu lançar apenas uma chapa, apesar das divergências, pois temem que a fragmentação fragilize o grupo.

DÉBITO – No início desta semana, o deputado estadual Augusto César (PTB) voltou a cobrar do Governador Paulo Câmara (PSB), uma indicação de 2 mil horas de máquina para o homem do campo, do Sertão do Estado.

Desde o ano passado, o aliado do Senador Armando Monteiro tem cobrado emendas parlamentares e indicações, que ficam travadas no Palácio do Campo das Princesas. Segundo Augusto César, as emendas e indicações não saem por ser oposição ao governo, que tenta retaliar sua atuação política.

REELEITO – Sem o apoio do prefeito Luciano Duque, o deputado Rodrigo Novaes (PSD) tem conquistado apoios importantes na cidade de Serra Talhada, no Sertão de Pernambuco.

O vice-líder do Governo Paulo Câmara, tem conquistado apoio de vereadores da base de Luciano Duque, além do médico e empresário Dr. Nena Magalhães. Dos parlamentares do Sertão, Novaes é um dos que possuí reeleição garantida.

FATOR TEMER – Os deputados federais do Sertão, ao exemplo de Sebastião Oliveira (PR), Kaio Maniçoba (MDB) e Fernando Filho (MDB) devem perder apoio do eleitorado, após terem votado ao favor do impeachment da ex-presidenta, Dilma Rousseff (PT).

Os eleitores sertanejos, que foram beneficiados durante doze anos pelas políticas do Partido dos Trabalhadores (PT), em unanimidade, não deverão votar nos parlamentares tachados de “golpistas”. E, quem viver verá!

PERGUNTA DE FOGO – Kaio Maniçoba irá para qual partido?

Coluna Pega-Fogo: Os desafios de Marília Arraes para vencer as eleições de 2018

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here