Coluna Pega-Fogo: Marília Arraes desbanca favoritismo de Paulo Câmara e Armando Monteiro

Vereadora do Recife, Marília Arraes (PT). Foto: Robério Sá.

Coluna Pega-Fogo – 28 de fevereiro. 

Na política, normalmente, quem está no poder é favorito a reeleição. Entretanto, esse não é o caso do Governador Paulo Câmara (PSB), que tentará renovar seu mandato para o Palácio do Campo das Princesas.

O favoritismo do socialista deixou de existir desde o dia 27 de fevereiro de 2016 – data em que o ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, assinava a ficha de filiação da vereadora do Recife, Marília Arraes, no Partido dos Trabalhadores (PT).

Passados dois anos, a neta de Miguel Arraes se tornou o maior símbolo de luta, disposição e popularidade dentro da legenda em Pernambuco, além disso, passou a ameaçar o projeto de poder da Frente Popular, para as eleições deste ano.

Na última pesquisa, Arraes apareceu com 14,5% das intenções de voto e empatada, tecnicamente, com Paulo Câmara, com 16%. Nem mesmo o senador Armando Monteiro (PTB), líder da corrida com 20,5%, se sentiu confortável com os números da disputa eleitoral.

Os números, divulgados a pouco mais de um mês, refletem um cenário sem favoritismo para nenhum dos candidatos que concorrem ao Governo de Pernambuco.

Na pesquisa, um cenário chamou a atenção do meio político e causou grande pânico na cúpula socialista, inclusive, incomodando a ex-primeira-dama e esposa do ex-governador Eduardo Campos, Renata Campos, que nos bastidores seria a responsável por tomar as rédeas de Paulo Câmara. Recentemente, ela visitou Lula em São Paulo.

Em uma simulação sem Armando Monteiro, Marília Arraes liderava com 21,7%; com Câmara chegando a 19,3%, seguido de Mendonça Filho, com 15,7% e Fernando Bezerra Coelho, com 6,7%.

Os números evidenciam, claramente, que não existirá favorito, caso a candidatura de Marília Arraes se confirme na Executiva do PT em Pernambuco. O nome “vibrante” da militância petista pode causar um fenômeno político nestas eleições, e surpreender a Frente Popular, nos dois turnos das eleições.

O descarte do PSB a Marília Arraes tem custado um alto preço para a cúpula, capitaneada por Paulo Câmara, fator que tem sido explorado pelos opositores que, também, defendem a candidatura da petista.

Sem favoritismo, Câmara terá uma dura eleição contra Armando Monteiro e/ou Fernando Bezerra e Marília Arraes – caso confirme a candidatura.

INVESTIGAÇÃO – O Senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) em depoimento à Polícia Federal, em novembro do ano passado, negou informações dos delatores da Diretoria da Odebrecht que, em delação premiada, disseram ter encaminhado recursos nas eleições de 2010.

No depoimento, Bezerra Coelho, também, informou que não recorda de quem foi o coordenador de campanha do seu filho, o atual Ministro das Minas e Energia, Fernando Filho (Sem Partido). As declarações foram dadas no Inquérito 4458 do STF.

IRONIA – Na sessão da Assembleia Legislativa dessa terça-feira, dia 27, o Deputado Estadual Álvaro Porto, anunciou que trocará o PSD pelo PTB, de Armando Monteiro. Na ocasião, ele elogiou o senador e ironizou o Governador Paulo Câmara, afirmando que Monteiro é líder “construído naturalmente e não por decreto”.

“Encerramos um ciclo da nossa vida pública e iniciamos outro, tendo pela frente a perspectiva de mudanças e novos tempos para Pernambuco”, completou Álvaro Porto, na tribuna da Casa Joaquim Nabuco.

CONTRADITÓRIO – O ex-prefeito de Serra Talhada, Carlos Evandro, ao falar em uma emissora de rádio, afirmou que está preocupado em reeleger Paulo Câmara, Sebastião Oliveira e Rogério Leão.

Em 2012, Evandro foi quem ajudou Luciano Duque a derrotar Sebastião Oliveira na disputa para prefeito da capital do xaxado. Contraditoriamente, ele disse, ontem (27), que vai ajudar a reeleger o parente de Inocêncio Oliveira para a Câmara Federal.

BASTIDORES – O vereador licenciado Cícero Freire (PR) que, atualmente, assume um cargo no Governo de Miguel Coelho (PSB) anda insatisfeito com a posição, e deverá pedir exoneração esta semana para voltar a Câmara de Petrolina, no lugar do seu aliado, o vereador Júnior Gás (PR) – que, no momento, ocupa a vaga. Apesar dos rumores de insatisfação, Cícero Freire e Júnior Gás negam qualquer tipo de desavença com Miguel Coelho.

IMBRÓGLIO – O vice governador e presidente estadual do MDB, Raul Henry, tem cinco dias úteis, a partir de ontem (27), para apresentar sua defesa no novo processo instaurado junto à Executiva Nacional, que pede a dissolução do diretório em Pernambuco. Segundo o advogado da legenda, Carlos Neves, o novo pedido repete os fundamentos do anterior no que diz respeito ao desempenho eleitoral da agremiação sob o comando do atual diretório.

PERGUNTA DE FOGO – Marilia Arraes conseguirá confirmar sua candidatura ao Governo de Pernambuco?