Após anunciar desfiliação do PDT, Guilherme Uchôa poderá deixar o palanque de Paulo Câmara

Guilherme Uchôa, Guilherme Uchôa Jr. e Fernando Bezerra Coelho. Foto: Reprodução.

O deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa, Guilherme Uchôa, confirmou na noite desta quarta-feira, dia 21, que estará desembarcando do Partido Democrático Trabalhista (PDT), em março, após duas décadas na legenda.

Durante um voou aéreo de Brasília para Pernambuco, o parlamentar revelou que o PDT negou legenda ao seu herdeiro político, Júnior Uchôa – pré-candidato a deputado federal. Ele, ainda, anunciou que além de se desfilar, não embarcará no PSB de forma alguma.

Nos bastidores, fala-se que Guilherme Uchôa poderá desembarcar do palanque de Paulo Câmara para as eleições deste ano, e apoiar a frente de oposição, capitaneada pelos senadores Armando Monteiro (PTB) e Fernando Bezerra Coelho (MDB).

No final do ano passado, Bezerra Coelho se reuniu com o pedetista e o filho, o empresário Guilherme Uchôa Júnior. Há rumores de que a reunião foi para tratar de um entendimento para as eleições.

No entanto, o senador aproveitou a oportunidade e anunciou a liberação de um convênio de R$ 3 milhões, através do Ministério do Turismo, para a construção da estrada do Sossego, na Ilha de Itamaracá.

A reivindicação antiga de Uchôa foi atendida pelo principal adversário de Paulo Câmara, sinalizando um “gesto político”, que pode terminar com uma aliança para a frente de oposição e ao apoio a candidatura do filho do deputado a Câmara Federal.